Utente deixou de ser a prioridade no sistema de saúde

O utente deixou de ser a prioridade no sistema de saúde, criticam alguns profissionais do sector.

Quando se assinala, hoje, o Dia Mundial do Doente, na Região Autónoma da Madeira agudiza-se a polémica em torno do Serviço Regional de Saúde.

Os cortes anunciados pelo Governo Regional, em resultado do Plano de Ajustamento Financeiro, e a falta de medicamentos estão na ordem do dia.

Alguns profissionais do sector assumem uma postura muito crítica face à atual situação. Juan Carvalho, presidente do Sindicato dos Enfermeiros da Madeira, refere mesmo que as decisões da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais contrariam a ideia de que o utente é a prioridade no sistema.

“O discurso oficial é sempre o de colocar o doente no centro do sistema, mas a verdade é que, em termos concretos, isso não se verifica. Neste momento a preocupação do Serviço Regional de Saúde é mais com os números, com as contas, do que propriamente com o doente”.

Juan Carvalho lamenta que os madeirenses e os portossantenses vejam limitada a prestação de cuidados e não tem dúvidas que, com as novas medidas de contenção, com o aumento da carga fiscal, vai aumentar a insatisfação dos profissionais de saúde, sejam médicos, enfermeiros ou funcionários administrativos.

E, neste contexto, deixa um sério alerta ao Governo: “o Serviço Regional de Saúde da Região Autónoma da Madeira não suporta a saída de mais enfermeiros”, sob pena de entrar em rutura, “porque vai levar aqueles que ficam nos serviços a uma sobrecarga de trabalho e a não darem as respostas adequadas em cuidados de enfermagem”.

O presidente do Sindicato dos Enfermeiros deixa também críticas às anunciadas taxas de racionalização. Uma realidade “insuportável” no contexto atual, em que se assiste a uma deterioração das condições de vida das famílias.

A esperança para estes profissionais é que o Orçamento Regional para 2012 possa contemplar respostas para as crescentes carências sociais. “O Serviço Regional de Saúde, através dos mecanismos oficiais, pode fundamentar não apenas a admissão de mais enfermeiros, mas a prestação de mais serviços”.

Acrescente-se que a propósito destas celebrações do Dia Mundial do Doente, o Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde organiza hoje, pelas 10h30, uma celebração eucarística na Capela da Casa de Saúde Câmara Pestana, presidida pelo bispo do Funchal, D. António Carrilho.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest