Notoriedade é prioridade dos Açores

Vasco Cordeiro considerou na Bolsa de Turismo de Lisboa que “um dos nossos desafios principais tem precisamente a ver com o aumento da notoriedade”.

Os Açores estão apostados no contínuo aumento da sua notoriedade internacional enquanto destino turístico e no reforço da sua presença no mercado estrangeiro “já que essa é uma estratégia que, de acordo com os números que são conhecidos, está a ter resultados efetivos” como se pode constatar “pelo aumento do número de dormidas de estrangeiros registado o ano passado nos Açores”, disse ontem, em Lisboa, o Secretário Regional da Economia.

Vasco Cordeiro, que reuniu, na Bolsa de Turismo de Lisboa, com as direções da Associação Regional de Turismo e da Associação Turismo dos Açores, destacou o trabalho “que tem sido realizado por estas duas entidades ao nível da promoção do arquipélago”, nomeadamente através da participação em feiras, “como foi o caso da recente presença num evento realizado na Alemanha dedicado ao mergulho, ou das campanhas promocionais que se encontram a decorrer até ao próximo mês de Abril, em diversos países europeus, nos Estados Unidos e Canadá, assim como no mercado nacional, num investimento de cerca de oito milhões de euros”.

O aumento da notoriedade do destino Açores a nível internacional “não é algo que se resolva num ano, mas sim um trabalho que se desenvolve todos os anos”, disse o governante, recordando que a aposta nos mercados estrangeiros “assume uma importância fundamental num momento em que o mercado nacional está a ser afetado pelas medidas de austeridade que têm sido impostas ao país”.

O Secretário Regional da Economia garantiu, no entanto, que a Região “não pode deixar cair a sua presença no mercado nacional” motivo pelo qual “vão ser reforçadas algumas campanhas ao longo dos próximos meses através de ações dirigidas aos operadores turísticos e de uma campanha direcionada para o público em geral”.

 Segundo Vasco Cordeiro, “o mercado nacional representa cerca de 50 por cento do número total de dormidas pelo que é necessário aumentar o peso dos mercados estrangeiros de forma que qualquer perturbação que possa existir no mercado nacional não comprometa a performance do sector na nossa Região”. “Um dos nossos desafios principais tem precisamente a ver com o aumento da notoriedade: isso faz-se trabalhando com os operadores que vendem o destino, mas também criando nas pessoas a vontade de conhecer os Açores, ou seja, fazer com que seja o próprio consumidor final a procurar os operadores porque se quer deslocar aos Açores”.

“Este trabalho tem de ser feito de forma permanente”, referiu ainda Vasco Cordeiro, garantindo que “a aposta no sector deve agora ser canalizada para a captação de fluxos turísticos depois de uma primeira fase marcada pela necessidade de criação de infraestruturas e que têm atualmente capacidade de resposta”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

 

 

Pin It on Pinterest