“Teste da Mulher” lançado a 8 de Março

Trata-se do de um teste de auto-colheita para o alerta do cancro do colo do útero.

No âmbito do Dia Internacional da Mulher, que se assinala no próximo dia 8 de Março, a empresa Infogene, empresa biotecnológica formada por investigadores da Universidade de Coimbra (UC), vai lançar nesse dia o “Teste da Mulher” trata-se de um teste de auto-colheita para o alerta do cancro do colo do útero, o segundo tipo de cancro mais frequente nas mulheres a nível mundial.

Pensado e desenvolvido ao longo dos últimos cinco anos pela Infogene, o “Teste da Mulher”, além de ser o primeiro teste em Portugal que permite esta auto-colheita, é mais robusto e mais rápido do que o método clássico – teste de Papanicolau (citologia) – para detetar a presença do papilomavírus humano (HPV), responsável pelo surgimento da doença oncológica com a terceira maior taxa de incidência em mulheres portuguesas.

O que torna único este novo método, composto por um estojo (Kit) de auto-colheita e por um teste de deteção precoce do HPV, é o facto de ser “um teste muito específico, capaz de identificar os 12 tipos de HPV de alto risco responsáveis pela infeção persistente que causa o cancro do colo uterino e de, em caso de resultado negativo, garantir à mulher um período de tranquilidade 3 vezes mais dilatado do que o método convencional”, explica Rui Costa, diretor executivo da Infogene.

Por outro lado, realça o responsável, “é um método rápido, simples e seguro, cumprindo todas as normas da União Europeia. A mulher, em qualquer momento, com conforto e na sua intimidade, pode efetuar a colheita e enviar para análise. O estojo engloba um dispositivo em forma de “varinha” com uma porção de colheita, um tubo de transporte, um envelope pré-pago para envio da amostra, um folheto de instruções e um formulário de requisição. Após a colheita, a porção de colheita é colocada no tubo de transporte e este é enviado para o laboratório”.

Dirigida especialmente a mulheres com mais de trinta anos (as que correm maior risco de desenvolver o cancro do colo do útero), a solução proposta pelos investigadores de Coimbra foi validada no Hospital Universitário de Uppsala, Suécia, através de um estudo comparativo com o teste de Papanicolau, em que participaram quatro mil mulheres.

Numa primeira fase, o Teste da Mulher pode ser adquirido em laboratórios de análises clínicas, mas o objetivo é que, a curto prazo, esteja também disponível em farmácias.

Incubada no Instituto Pedro Nunes (IPN) da Universidade de Coimbra, a Infogene nasceu em 2006 e é especializada no desenvolvimento de métodos não invasivos de deteção precoce do cancro.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest