Parlamento madeirense deve aplicar a Lei da Paridade

Ideia defendida por Rubina Berardo, no âmbito da conferência “Mulheres, Cidadania e Política”.

A equipa do projecto Des.Igual.Mente, dinamizado na Escola Secundária Jaime Moniz, promoveu hoje à tarde uma conferência subordinada ao tema “Mulheres, Cidadania e Política”.

Um dos assuntos em debate prendeu-se com a lei da paridade, nomeadamente na Assembleia Legislativa da Madeira. “No mundo político há efectivamente uma sub-representação das mulheres. Isso é um grande problema para Portugal. Só conseguimos sair desta crise com o empenho de todos e, por isso, a necessidade de não esquecer as quotas”, disse a oradora convidada, Rubina Berardo.

Na ocasião, perante uma plateia de jovens, sublinhou ainda que os direitos das mulheres não são temáticas que se esgotam nos países mais desfavorecidos ou até mesmo no Dia Internacional da Mulher.

“Temos de ter atenção para que estes direitos não sejam prejudicados por necessidades económicas e financeiras”, até porque são sempre os elos mais fracos da sociedade que sofrem com a crise.

O projecto Des.Igual.Mente, desenvolvido pela Secretaria Regional de Educação e Recursos Humanos, tem como objectivo principal promover a igualdade entre mulheres e homens, bem como promover a memória histórica para combater a discriminação que ainda hoje se encontra.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest