Mercado floral resiste à crise

A florista Graça Reis considera que a atual conjuntura económica não tem prejudicado o comércio floral.

“Apesar das coisas estarem como estão, felizmente, vamos tendo sempre trabalho. Acho que as flores ainda nos dão um bocadinho de alegria e de ânimo”, afirmou a florista.

No entanto, Graça Reis refere que os clientes estão a optar por arranjos florais mais em conta. “Enquanto antes muitas pessoas escolhiam grandes arranjos, hoje optam por um arranjo floral mais económico”, observou.

A florista disse, ainda, que é procurada para fazer arranjos florais para vários tipos de eventos, nomeadamente: casamentos; batizados; funerais; jantares; e almoços.

Graça Reis falava esta tarde à margem de uma ação intitulada “Nunca é tarde para aprender: atelier de arranjos florais”, que teve lugar na Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos.

O referido evento, que teve como público-alvo adultos seniores, centrou-se no tema da Primavera e das flores. “Com a ajuda dos participantes desta ação fez-se um pequeno arranjo ou pequenos pormenores tendo em vista a criação de um catálogo para o encerramento dos encontros que têm acontecido nesta biblioteca”, explicou a florista.

Na ocasião, Graça Reis transmitiu que um dos ‘ingredientes’ para se fazer um bom arranjo floral é a inspiração, ao que se junta aquilo que se pode chamar de “um dom especial”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest