Programa Rumos envolveu cinco mil trabalhadores

Eixo I do Programa Rumos foi mais direcionado para o comércio e a hotelaria.

549 empresas, envolvendo cerca de cinco mil trabalhadores, participaram na primeira fase do Programa Rumos – Programa Operacional de Valorização do Potencial Humano e Coesão Social da Região Autónoma da Madeira.

Hoje, na apresentação do “Estudo de Avaliação da Operacionalização das Ações de Formação – Consultoria (Tipologia 1.2.3) do Programa Rumos, fez-se um balanço positivo ao trabalho desenvolvido.

Paulo Feliciano, da empresa Quartenaire, responsável pelo estudo, explicou que esta primeira fase do programa comunitário foi mais direcionada ao comércio e à hotelaria. Mas agora, tendo em conta o cenário sócio-económico regional e nacional, podem-se abrir portas a outras áreas de negócio.

“Houve uma capacidade, na generalidade dos casos, de conseguir promover a transformação e a mudança nas organizações. Achamos que, por essa razão, há uma ambição maior que se pode colocar a um programa desta natureza, que é situá-lo noutros sectores de atividade de competitividade regional”, disse, dando como exemplo de novos sectores a agricultura ou a floricultura.

O secretário regional de Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, sublinhou que estas ferramentas são importantes para abraçar os novos desafios. “A componente da formação profissional é muito importante” para a reestruturação das empresas e consequente ultrapassar da crise económica.

Acrescente-se que esta avaliação foi conduzida com base num referencial metodológico de reconstrução da cadeia de resultados e impactos desta tipologia, junto dos indivíduos e das empresas.

Sara Relvas, Gestora do Eixo I do Programa Rumos, informou também que estão a decorrer as candidaturas para a segunda fase. As empresas madeirenses podem, deste modo, continuar a obter linhas orientadoras para a dinamização e revitalização.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest