Montanha Russa

A crise no desporto – A cada dia que passa surgem novas histórias sobre as dificuldades dos clubes desportivos em diferentes latitudes e nas mais diversas modalidades. Seja aqui na Madeira ou no continente, são cada vez mais os exemplos de ordenados em atraso e de dificuldades tão básicas como a capacidade de conseguir efetuar a deslocação para poder competir.

A situação aqui na RAM é particularmente sensível e levou já à desqualificação de várias equipas de competições nacionais devido à falta de comparência. Durante muito tempo o desporto da região foi uma bandeira do governo regional que o via como um veículo de promoção da região no exterior. Agora, no entanto, a situação financeira não tem permitido ao governo regional cumprir os acordos estabelecidos com os clubes e a imagem do desporto madeirense no exterior deixou de ser assim tão importante! Creio que este é o momento exato para se redefinir a política regional de desporto, apoiando sobretudo a formação e a prática desportiva nas diferentes modalidades e sendo mais criterioso no apoio às competições profissionais ou de alta competição, estas deverão procurar outras formas de financiamento e, caso não o encontrem, devem simplesmente deixar de competir ao mais alto nível, afinal, no atual momento que a região atravessa e em que tantos sacrifícios são pedidos aos madeirenses, é incompreensível que se continue a esbanjar dinheiro no desporto.

Uma palavra de apreço para Marítimo e Nacional que apesar das dificuldades têm conseguido excelentes desempenhos, praticando bom futebol e conseguindo classificações dignas de registo.

Uma última palavra para o já famoso alargamento da I Liga de Futebol, que parece ter morrido ainda antes de ter nascido: parece incompreensível que os clubes, ditos pequenos e médios, se prestem a este papel… afinal os dinheiros que hoje circulam pelas nossas principais ligas de futebol são insuficientes para que os clubes honrem os compromissos com os seus profissionais e lhes paguem, por exemplo, os ordenados a tempo e horas, e ainda vão querer dividir esse bolo financeiro já insuficiente por mais uns quantos? Se agora as dificuldades são grandes, com o alargamento não ficarão pior? Não é crível que as receitas dos clubes aumentem, logo aumentar o número de clubes nas principais ligas de futebol não vai resolver nenhum problema, apenas o vai espalhar por mais umas quantas coletividades desportivas.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest