Reorganização autárquica liquidará identidade das populações

Comunistas contra a reorganização autárquica imposta pelo Governo PSD/CDS.

A CDU/Madeira diz que a reorganização autárquica imposta pelo Governo da República mais não é que “o mais grave ataque ao Poder Local democrático perpetrado desde o 25 de Abril de 1974, mais uma das frentes de ataque do Programa de Agressão contra Portugal e contra os Portugueses”.

Hoje, num comunicado de imprensa enviado às redações, os comunistas criticam duramente as razões apresentadas pelo governo de coligação e lamentam que a população seja, mais uma vez, chamada aos cortes cegos.

A República, por imposição da Troika, pretende extinguir cerca de um terço das freguesias portuguesas e não se pense que a Madeira ficará fora desta medida.

“A Região Autónoma da Madeira não está imune a esta desastrosa tentativa de reorganização autárquica. De facto, o Governo do PSD/CDS-PP prepara-se para extinguir, na nossa Região, entre 16 a 24 freguesias; será um rude golpe para muitas localidades”.

Os comunistas pretendem que a Assembleia Legislativa da Madeira, por intermédio dos poderes autonómicos conferidos à Região, possa pôr termo a esta intenção. “Este é um projeto grave e perigoso, que urge ser travado”, porque “liquidará a identidade das populações e acabará com a coesão social, debilitando uma série de serviços públicos, e criando enormes assimetrias e graves situações de conflito”.

No caso concreto da Região Autónoma da Madeira, a CDU apela a todos os madeirenses e portossantenses para que façam frente a mais esta ofensiva contra os direitos essenciais das populações.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest