Cartas de Risco de elaboração

Estes documentos incluem informação sobre perigos de origem natural, como são as questões sismo-vulcânicas, os movimentos de terra, as inundações, entre outras.

O Secretário Regional do Ambiente e do Mar, Álamo Meneses, reuniu ontem, em Ponta Delgada, com o CIVISA para avaliar os eventuais perigos geológicos e a delimitação de áreas vulneráveis a considerar, em termos de riscos no ordenamento do território dos Açores.

Álamo Meneses explicou, na ocasião, que essas Cartas de Risco incluem informação sobre perigos de origem natural, como são as questões sismo-vulcânicas, os movimentos de terra, as inundações, as cheias e todos os movimentos de massa associados a esses eventos naturais. Estão a ser elaboradas nove cartas de risco, uma por cada ilha.

Segundo adiantou o Secretário Regional do Ambiente e do Mar, há também uma outra categoria de riscos, legalmente considerados, que tem a ver com os de natureza tecnológica, ou seja, que incluem a atividade humana. No caso da União Europeia, existe a diretiva SEVESO, que obriga as instalações com determinado grau de perigosidade a estarem devidamente assinaladas e tenham as respetivas áreas de proteção. Essa diretiva já foi transposta para o Direito Regional, no ano passado, contribuindo para que os riscos tecnológicos na Região estejam claramente identificados, afirmou Álamo Meneses.

Álamo Meneses frisou que estes documentos científicos permitem obter informação fidedigna, com vista a tomar medidas preventivas e agir melhor em caso de catástrofe natural. 

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest