Hélder Spínola convida deputados do PSD

O ambientalista convidou o Grupo Parlamentar do PSD-Madeira a visitar o aterro que está a ser feito dentro da Ribeira da Lapa.

“O grupo Parlamentar do PSD-Madeira está a dedicar esta semana ao ambiente e à natureza e tem vindo a fazer algumas visitas pela ilha. No sentido de ajudar os senhores deputados do PSD-Madeira a conhecer a realidade ambiental, decorrente das intervenções do governo regional, venho convidá-los, publicamente, a dedicar uma das suas visitas à obra de construção dos 25 quilómetros de estradas que já serpenteiam as serras do Funchal desde a Volta da Malhada (Eira do Serrado), passando pela Barreira e saindo junto ao Poço da Neve, no Pico do Areeiro, um projeto de 7,5 milhões de euros da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais”, refere o ambientalista numa nota enviada à nossa redação.

Segundo Hélder Spínola, na visita a esta obra é “de particular interesse ambiental” a ribeira da Lapa (Santo António-Funchal), junto ao túnel de aceso ao Curral das Freiras, para o interior da qual estão a ser vertidas as pedras e terras sobrantes.

“São dois os pontos negros na ribeira da Lapa resultantes deste depósito indiscriminado de terras. Um deles situa-se a montante do túnel de aceso ao Curral das Freiras, onde as terras provenientes da abertura da estrada foram simplesmente vertidas encosta abaixo até ao interior da linha de água, situação que pode levar ao galgamento do caudal para o interior do túnel do Curral das Fr

eiras, como aconteceu a 20 de Fevereiro de 2010. A outra situação grave é o aterro que está a ser feito na margem da ribeira logo abaixo da estrada (terá licenciamento?), situação que, uma vez que este é um afluente da ribeira dos Socorridos, põe em risco o Parque Empresarial da Zona Oeste e, em particular, as infraestruturas electroprodutoras da Madeira”, apontou o ambientalista.

Aquele responsável recorda, ainda, que, em Novembro de 2011, o diretor regional do Ambiente disse à RTP-Madeira que “o empreiteiro seria obrigado a limpar as terras que deitou para dentro da ribeira da Lapa. Mas, passados 5 meses, nada foi feito e, pelo contrário, o crime ambiental e para a segurança de pessoas e bens continuou a ser praticado”.

“No sentido de por cobra a esta grave situação e temendo que o grupo parlamentar do PSD-Madeira acabe por declinar o meu convite para visitar este atentado, entreguei hoje uma queixa junto do Serviço de Proteção da Natureza da Guarda Nacional Republicana (SEPNA-GNR), apresentando imagens da situação captadas a 25 de Abril último e solicitando a intervenção desta força para que o ato praticado não tenha continuidade e sejam levantados os autos que conduzam às respetivas contraordenações previstas na Lei”, concluiu Hélder Spínola.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest