Ribeira Brava perde terreno na gestão dos resíduos

MPT aponta o dedo à ‘Água e Resíduos da Madeira’. O lixo amontoa-se nas estradas.

O Movimento Partido da Terra (MPT) quis dar voz ao descontentamento das populações dos concelhos que aderiram à ‘Água e Resíduos da Madeira’.

Na Ribeira Brava, por exemplo, o lixo amontoa-se na estrada porque diminuíram os dias para a recolha, isto sem contar com o aumento das taxas.

“Quando foi constituída a ‘Água e Resíduos da Madeira’, o Partido da Terra deu o benefício da dúvida a esta empresa pública, na esperança que ela viesse a prestar um serviço de melhor qualidade aos munícipes”, mas agora verifica-se exatamente o contrário, lamentou João Isidoro.

O dirigente disse ainda que as autarquias, que têm participação na empresa, não podem pensar apenas nos lucros. Não quando o trabalho feito durante anos, designadamente na recolha dos resíduos, está a regredir.

“Vemos que diminuiu o número de ecopontos. Todo o trabalho pedagógico de formação que foi feito, nas escolas, nas famílias, regrediu. Os lixos estão a ser deitados nos contentores de lixo indiferenciado. Isto é andar para trás no que se refere à qualidade do ambiente e à saúde pública”, conclui João Isidoro.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest