Comunistas sugerem abertura imediata do Complexo do Lido

CDU defende a criação de um acesso direto ao mar com as devidas condições de segurança.

A CDU/Madeira entende que os projetos megalómanos anunciados para o Complexo Balnear do Lido, no concelho do Funchal, estão a prejudicar os utilizadores.

Dírio Ramos denunciou hoje uma série de manutenções deficitárias que culminaram, no temporal de 20 de Fevereiro de 2010, com o encerramento total daquele espaço.

“A Câmara Municipal do Funchal lançou uma ideia megalómana de investir 6 milhões de euros num projeto para o Lido, que seria financiado pela Lei de Meios, pelo Intervir+ e pela União Europeia. Gastaram 200 mil euros no projeto e, até há data, o dinheiro não apareceu e a obra continua pelo caminho”.

O dirigente comunista explicou, perante estes factos, que o mais importante é devolver parte do Lido à população. Uma vez que não há dinheiro para começar as obras, “a nossa proposta imediata é que se abra o Lido, funcionando sem piscina, mas com solário e que seja criado um acesso direto ao mar com as devidas condições de segurança”.

A CDU/Madeira não entende as reticências da autarquia do Funchal em devolver aquele espaço à população e aos turistas. O total abandono do Complexo Balnear do Lido, que cresce de dia para dia, é de lamentar e exige medidas imediatas.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest