Requalificação no Cabo Girão “à custa da população”

Proprietários dos terrenos expropriados ainda não “receberam um tostão”, denuncia o PTP.

As obras que estão a decorrer no Cabo Girão são mais um exemplo do despesismo do Governo Regional.

“O Governo não tem dinheiro para a saúde, não tem dinheiro para a educação, mas está aqui a enterrar rios de dinheiro”. A denúncia partiu hoje do Grupo Parlamentar do Partido Trabalhista Português.

O deputado José Manuel Coelho aproveitou a visita ao local para falar sobre o dinheiro das expropriações. “Este empreendimento está a ser construído à custa da população. Um dos proprietários do terreno, que foi obrigado a ceder 300 metros, ainda não recebeu nem um tostão”, disse, acrescentando que o terreno, num valor comercial de 100 mil euros, não vale muito mais de 4 mil euros para o governo.

Por outro lado, numa área de proteção ambiental, o líder do PTP estranha que continuem a surgir construções. “Apareceram uns ingleses, compraram uma encosta adjacente, e fizeram um aldeamento turístico. Isto contrariando as próprias afirmações do Dr. Alberto João Jardim e o Plano Diretor Municipal do concelho de Câmara de Lobos”.

José Manuel Coelho lamentou que, mais uma vez, as obras megalómanas do Executivo prejudiquem a população e privilegiem os amigos do regime. “É mais um ato de pirataria que prejudica o povo da Madeira”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest