CDU exige renegociação da dívida

Edgar Silva considera que os juros cobrados pelo Estado à Região, no âmbito do plano de resgate, “são uma prática de agiotagem intolerável”.

“É vergonhoso, para além de ser intolerável, que o PSD e o CDS em Lisboa estejam a impor à Madeira juros por este empréstimo que obriga ao pagamento de 650 milhões de euros, sacrificando os madeirenses e comprometendo o futuro do desenvolvimento regional”, frisou o comunista, hoje em conferência de imprensa.

Desta forma, o deputado da CDU defende que é necessário adotar-se um conjunto de medidas urgentes para a renegociação da dívida. “Nesse sentido, vamos apresentar, na Assembleia Legislativa, um de projeto resolução para a renegociação da dívida”, sublinhou

O objetivo do projeto de resolução, segundo explicou Edgar Silva, “é exigir que o Governo Regional desenvolva imediatamente todas as diligências, de forma a que seja lançado junto do Governo da República o processo da renegociação da dívida”.

Assim, o deputado comunista aponta que a referida renegociação deve ser feita nos seguintes termos: Diminuição das taxas de juro; alargamento dos prazos de pagamento da dívida por mais dez anos (2043); alteração do período de carência para 6 anos; e eliminação total dos ‘spreads’ que estão a ser aplicados.

Edgar Silva considera, ainda, que o projeto de resolução da autoria da CDU “será um momento de teste para ver a coerência de partidos como o PSD e o CDS”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest