PS atento ao processo “Cuba Livre”

O partido pede mais celeridade da parte da Justiça, lembrando que os “responsáveis pela dívida oculta” continuam à frente dos destinos da Região.

Victor Freitas considera que o debate potestativo, da autoria do PS, “sobre a dívida oculta da Madeira” é dos “mais importantes que até hoje tiveram lugar” na Assembleia Legislativa. Recorde-se que o referido debate terá lugar amanhã, a partir das 09h00, no parlamento regional, devendo o mesmo contar com a presença de um membro do executivo madeirense.

O presidente do PS, que falava esta noite no final de uma reunião da Comissão Política, reiterou que “quem cometeu o pecado da dívida oculta é que deve pagar as consequências financeiras e criminais”, afirmando que “não permite que seja o povo a ter de pagar uma dívida oculta, ilegal e ilegítima sobre a qual os madeirenses não foram chamados a opinar”.

Victor Freitas afirmou também que o PS “segue com muita atenção” o processo “Cuba Livre”, o qual foi desenvolvido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), no passado mês de abril.

Porém, o líder socialista considera que a Justiça está a ser pouco célere em relação ao dito processo. “O que notamos é que o andar da Justiça é muito lento, mas as consequências dos actos já se começam a sentir nas famílias e nas empresas”, alertou.

Assim, Victor Freitas apela à Justiça para ser “mais célere” em relação ao processo “Cuba Livre”. “Não podem ser os madeirenses a estar pagar as consequências quando os próprios responsáveis pelo acto criminoso da ocultação da dívida continuam no governo à frente dos destinos da Região”, observou.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest