Jardim defende leis que “decretem um estado de emergência” [VÍDEO]

Jardim diz que assim evitam-se confusões, como aquela que aconteceu com a greve dos pilotos da TAP.

Numa altura em que se pedem sacrifícios às populações, em que somos confrontados com tantos aumentos, “não se pode estragar todo este esforço que o povo faz” com uns senhores que já “são privilegiados nos seus salários”, considerou o líder do Governo Regional, propondo, neste sentido, a criação de leis de “decretem um estado de emergência” em certas áreas de atividade do país.

Alberto João Jardim falava hoje à margem da cerimónia de deposição de flores no busto de Simon Bolivar, no âmbito das celebrações do 201º aniversário da Independência da Venezuela, e não se escusou a críticas ao atual regime político, ao qual falta firmeza em algumas decisões.

“Hoje dou muita razão ao presidente Hugo Chávez, nos alertas que fez sobre a tentativa de domínio do capitalismo selvagem sobre os povos”, continuou, reiterando que a crise internacional deve-se à ingerência dos poderes financeiros nos poderes democráticos.

Mariela de Gouveia, cônsul-interina da República Bolivariana da Venezuela, agradeceu, por sua vez, a presença do líder regional e explicou que muitos luso-descendentes, por força da crise que se vive na Região Autónoma da Madeira, começam a regressar à Venezuela. O desemprego e o deteriorar das condições de vida levam a nova mudança.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest