Povo de Machico não pode ser sacrificado

O PS está preocupado com o facto da Câmara Municipal de Machico poder recorrer a um empréstimo para sanar a dívida de 32 milhões de euros.

Os socialistas denunciaram, ao início desta tarde, que a Câmara Municipal de Machico (CMM) está falida, tendo uma dívida de cerca de 32 milhões de euros. Desta forma, Victor Freitas está preocupado “com a forte possibilidade” da autarquia de Machico recorrer ao chamado Programa de Apoio à Economia Local.

“Se a CMM aderir a este ‘plano Relvas’ vai ter IMI mais caro e vai ter todos os outros impostos camarários na taxa máxima com consequências gravosas para o dia a dia das populações deste concelho”, apontou o líder socialista.

Victor Freitas, que falava no âmbito da iniciativa “Primeiro a Madeira”, recordou que a população já “está a ser fortemente penalizada” pelas medidas de austeridade a nível nacional e regional, referindo que a “adesão ao plano Relvas” agravará ainda mais os sacríficios da população machiquense.

O presidente dos socialistas reiterou, ainda, que nas próximas eleições autárquicas o seu partido pretende “ganhar” a CMM. “Vamos ter eleições autárquicas no próximo ano e pretendemos apresentar à população de Machico um plano para o concelho, de forma a devolver à CMM contas sãs e limpas. Queremos ter um papel muito importante no concelho de Machico, de forma a fazer que não venha a existir mais um plano de ajustamento económico e financeiro para esta câmara, negociado da mesma forma que foi negociado o plano regional”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest