Jardim volta a explicar dívida da Madeira

Nos últimos tempos, o presidente do Governo Regional tem utilizado os seus discursos para explicar as razões que levaram a Região a se endividar.

Esta tarde, ao discursar  na XII Mostra da Banana na Madalena do Mar, o governante voltou a abordar os motivos que levaram a Madeira a contrair a dívida de 6 mil milhões de euros, a qual fez com que houvesse a necessidade de se assinar com o Governo da República o plano de ajustamento financeiro.

Assim, e num discurso “já gasto”, Alberto João Jardim explicou todos os passos que se deram, desde o início da autonomia, para o desenvolvimento da Madeira. “Eu não me arrependo desta política, foi a única maneira da nossa terra poder ter tido as transformações que fizemos. E mesmo aquelas obras que estão começadas, mas que ainda não estão terminadas, eu não me arrependo de as ter começado, porque se não as tivesse iniciado era muito difícil agora arrancar com elas”, afirmou.

No seu discurso, o líder do executivo madeirense voltou também atacar o Governo da República, alegando que este não cumpre aquilo que vem na Constituição, nomeadamente no que toca aos encargos com a Educação e a Saúde. “Desde o início da autonomia, já gastamos na Educação e na Saúde 9 mil milhões de euros. Ora a dívida da Madeira é de 6 mil milhões de euros, isto é, se o Estado português tivesse cumprido a Constituição, se tivesse cumprido as suas obrigações no campo da Saúde e da Educação, neste momento a Madeira não tinha qualquer dívida”, argumentou.

Já numa vertente mais partidária, Jardim convidou todos os presentes na Mostra da Banana a participarem, no dia 9 de setembro, na festa do PSD na Herdade do Chão da Lagoa.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest