Turista é quem mais compra no Mercarte Madeira

Mercarte Madeira voltou à Praça da Autonomia. O turista é que vai safando o negócio.

As contas já estiveram mais equilibradas. Antigamente, tanto comprava o madeirense como o turista, mas hoje em dia, com a perda de poder de compra e o aumento do desemprego, é o turismo que safa o negócio no Mercarte Madeira.

Ainda assim, ganhe-se muito ou pouco, a participação e o convívio com os colegas é sempre muito importante. Funciona como “uma espécie de terapia” e “é uma maneira das pessoas mostrarem os seus talentos”, refere mesmo Senhorinha Rodrigues, uma das expositoras presentes no Mercarte.

A cada edição, num espaço cedido pela Câmara Municipal do Funchal, juntam-se entre 30 a 40 pessoas. “Mas é um número variável e que tem a ver com a disponibilidade de cada pessoa”, acrescenta.

No Mercarte Madeira vende-se de tudo um pouco. São malas, colares, pinturas, entre muitos outros artigos. “Com a vantagem que isto é tudo novo. Fazemos os artigos em casa e até aqui, mesmo no momento da venda. Às vezes até ensinamos a confecionar determinadas coisas”, explica Lénia Jardim, que trabalha mais diretamente para o turista.

Esta feira, que hoje se realiza na Praça da Autonomia, acaba por ser um excelente meio para complementar o rendimento familiar. Ao agradável, de realizar trabalhos manuais, junta-se uma atividade muito útil.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest