Investigadores detetam novo mecanismo responsável pela doença de Parkinson

Investigação contraria algumas das teses científicas sobre as causas de uma das patologias neuro-degenerativas.

Uma equipa de investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (UC), liderada por Sandra Morais Cardoso, identificou um novo mecanismo responsável pela origem da Doença de Parkinson.

O resultado da investigação contraria algumas das últimas teses científicas sobre as causas de uma das patologias neurodegenerativas mais comuns que afeta, segundo os últimos dados, mais de quatro milhões de pessoas em todo o mundo.

Os investigadores portugueses demonstraram, pela primeira vez, em estudos ex-vivo (com células de doentes de Parkinson), que «a deficiência no tráfego intracelular (autoestradas celulares) é provocada pela disfunção das mitocôndrias dos doentes. Analisámos toda a via e verificámos que, na doença de Parkinson, a disfunção mitocondrial é o evento que está na base de uma deficiente autofagia –  mecanismo através do qual ocorre a degradação de organelos disfuncionais e de proteínas danificadas (lixo biológico que se vai acumulando ao longo do envelhecimento e que se não for eliminado leva à morte das células) explica a líder do grupo, Sandra Morais Cardoso.

Esta descoberta, fruto de pesquisa desenvolvida ao longo dos últimos quatro anos com o financiamento da Fundação para a Ciência e tecnologia (FCT), «fornece novas pistas importantes para o desenvolvimento de futuros fármacos que previnam a interrupção do tráfego e, deste modo, assegurem o normal transporte intracelular, que se processa ao longo de todo o neurónio, desde o núcleo até às aos terminais sinápticos».

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest