Recolha de dados sobre a agitação marítima

A costa norte da ilha da Madeira já está incluída no mapa da rede de boias e marégrafos existentes na Região, onde já figuravam a costa sul e o Porto Santo, permitindo agora a observação de todos os setores da ondulação e, especialmente, dos setores de maior interesse energético.

No início da tarde de ontem, uma equipa da APRAM, a bordo do rebocador Ponta do Pargo, lançou a uma milha e meia do Porto Moniz uma boia ondógrafo que vai permitir recolher dados como a altura, período e direção da onda, além da temperatura da água do mar.

A referida boia vai disponibilizar on line dados sobre a agitação marítima a cada 10 minutos, incluindo a altura significativa, a altura máxima, o período médio, o período máximo, a direção do pico e a temperatura da água à superfície, dados que são enviados através de uma estação terrestre que emite diretamente para o Instituto Hidrográfico. A utilização destes dados são fundamentais na caraterização do clima de agitação marítima na Região, na previsão da agitação marítima e na disponibilização dos dados para a comunidade cientifica.

Esta boia foi adquirida no âmbito do projeto Climarcost e o seu fundeamento insere-se nos objetivos do programa europeu Macsimar, que significa Incorporação do Sistema Integrado de Monitorização Meteorológica e Oceanográfica da Macaronésia na estratégia de investigação marinha/marítima europeia de que são parceiros, além da Madeira, os Açores e as Canárias. Ao todo, são sete boias já instaladas: quatro boias ondógrafo, duas de deteção de hidrocarbonetos e uma meteo-oceanográfica, colocadas na zona do Funchal, Caniçal, Porto Santo e agora, Porto Moniz.

O clima de agitação marítima do Atlântico Norte Oriental carateriza-se, em geral, pela predominância de ondulação proveniente de setores de N/NW. A Madeira tem há alguns anos observações sistemáticas que caraterizam os regimes de agitação marítima na costa sul da ilha da Madeira (W-S-E). Mais recentemente, a boia de Porto Santo alargou a cobertura para setores de E (SE-E-NE). Mas, havia ainda uma lacuna, pois os setores mais energéticos (W-NW-N) não estavam a ser observados. A situação foi alterada ontem com colocação de uma boia no Porto Moniz.

Este sistema de monitorização contribui para a implementação da Diretiva-quadro da Água e da Diretiva-quadro “Estratégia Marinha” no arquipélago da Madeira, potencia o desenvolvimento das capacidades científicas regionais na área das ciências do mar e aproveita as sinergias existentes na Região, promovendo a sustentabilidade  ambiental do meio marinho e um melhor conhecimento, além de reforçar parcerias na Macaronésia.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest