Economia registou capacidade de financiamento de 1,9% do PIB

Já a capacidade de financiamento das Famílias diminuiu para 2,5% do PIB no ano acabado no 4º trimestre de 2014 (menos 1,3 p.p. do que no trimestre anterior).

economia1Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que a economia portuguesa registou uma capacidade de financiamento de 1,9% do PIB no ano terminado no 4º trimestre de 2014, menos 0,5 pontos percentuais (p.p.) que no trimestre anterior.

Esta diminuição foi determinada pela redução da poupança corrente da economia, em resultado da diminuição de 0,4% do Rendimento Disponível Bruto da Nação. A despesa de consumo final apresentou uma taxa de variação de -0,1% no ano terminado no 4º trimestre de 2014 (0,7% no trimestre anterior).

Já a capacidade de financiamento das Famílias diminuiu para 2,5% do PIB no ano acabado no 4º trimestre de 2014 (menos 1,3 p.p. do que no trimestre anterior). A taxa de poupança das Famílias também diminuiu, fixando-se em 6,9%, refletindo o aumento da despesa de consumo final das famílias e a diminuição do rendimento disponível (variações de 0,6% e -0,8%, respetivamente, no ano terminado no 4º trimestre de 2014). Os saldos das Sociedades Não Financeiras e das Sociedades Financeiras fixaram-se, respetivamente, em 0,6% e 3,3% do PIB no 4º trimestre de 2014 (0,7% e 2,3% no trimestre anterior, pela mesma ordem).

Os números do INE mostram ainda que a necessidade de financiamento das Administrações Públicas (AP) aumentou ligeiramente, passando de 4,4% do PIB no 3º trimestre para 4,5% no ano acabado no 4º trimestre de 2014. Em 2013, a necessidade de financiamento das AP foi 4,8% do PIB.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest