Consumo de doces da Páscoa exige moderação

Na Páscoa regressam os excessos alimentares associados a épocas festivas.

UPPASO consumo excessivo de doces está associado ao aumento de peso, da taxa de glicemia e dos níveis de triglicéridos. A Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa deixa alguns conselhos para minimizar os estragos causados pelos ovos de chocolate e amêndoas doces que caracterizam esta época festiva.

Assim, Ana Rita Lopes, coordenadora da Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa, aconselha a ingestão controlada de chocolates com maior teor de cacau. “A alternativa mais saudável passa por ingerir os chocolates chamados ‘meio-amargos’, ricos em cacau e com uma menor percentagem de gordura, sempre com especial atenção à quantidade”, frisou.

“O excesso de açúcar e gordura contido nestes doces de época pode desencadear desconforto gástrico e intestinal. O importante é que as pessoas tentem manter o equilíbrio entre a vontade de ingerir doces e a necessidade de os ingerir”, acrescenta Ana Rita Lopes.

Para a especialista, as pessoas não têm de deixar de comer o que gostam mas devem utilizar o bom senso, uma vez que para além de nutrir, a alimentação também é considerada uma fonte de prazer. “Um dos truques principais é tentar manter o equilíbrio durante esta época festiva, ou seja, se a pessoa consumir alimentos mais calóricos, deverá considerar este consumo como uma exceção e não uma regra e compensar com atividade física regular” e relembra que “a gordura e o açúcar são responsáveis pelo aumento do peso e doenças cardiovasculares”.

A Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Lisboa dedica-se ao suporte nutricional aos clientes das unidades de internamento e ambulatório, pela avaliação do risco e do estado nutricional e pela adequação da alimentação às necessidades nutricionais individuais dos clientes; controlo do cumprimento das normas de segurança e higiene alimentar, bem como da qualidade das refeições destinadas aos clientes; orientação e acompanhamento nutricional em consulta de Nutrição Clínica, abrangendo todas as faixas etárias e diversos contextos clínicos, onde é realizada uma avaliação do estado nutricional e um plano alimentar personalizado, de forma a atingir os objetivos nutricionais pretendidos.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest