Governo colombiano e FARC assinam acordo de paz

A guerrilha colombiana das FARC assinou ontem um acordo de paz com o Governo da Colômbia, pondo termo a várias tentativas fracassadas para terminar um conflito armado de 52 anos.
O Presidente Juan Manuel Santos e o “número um” das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Rodrigo Londoño, assinaram o designado “Acordo final para o fim do conflito e a construção de uma paz estável e duradoura”, negociado em Cuba durante 45 meses e cinco dias e anunciado em 24 de agosto.

O acordo põe termo ao conflito armado com as FARC, uma guerrilha de inspiração marxista e com origem nas revoltas camponesas da década de 1960, que vai tornar-se num movimento político e disputar o voto popular nas próximas eleições.

O balanço da guerra civil no país, que desde 1964 envolveu guerrilhas de extrema-esquerda, paramilitares de extrema-direita, exército e grupos de narcotraficantes é pesado: 260.000 mortos, 45.000 desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados.

O acordo, um documento de 297 páginas, apesar de assinalar o fim oficial do conflito armado, deixa ainda em aberto a complexa tarefa da aplicação efetiva, para que seja garantida uma paz efetiva.

Para além da sua concretização prática, o acordo terá ainda de ser ratificado pela população num plebiscito marcado para 2 de outubro e que para ser validado necessita da participação de mais de 13% dos eleitores, 4,5 milhões de pessoas.

Pin It on Pinterest