Primeira casa de abrigo para homens vítimas de violência doméstica

O Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, presidiu à apresentação da primeira casa de abrigo para homens vítimas de violência doméstica, que começa a funcionar no dia 30 de setembro, em Faro.

«É um projeto-piloto da primeira casa abrigo para homens vítimas de violência doméstica com 10 lugares, com acompanhamento jurídico, psicológico, enquadramento de apoio social», disse Eduardo Cabrita na cerimónia de assinatura da carta de compromisso entre a Fundação António Silva Leal e o Governo.

O Ministro citou que no último Relatório Anual de Segurança Interna, 15% dos casos de violência doméstica reportados têm por vítimas homens, que estão em «situação de fragilidade, desestruturação pessoal ou familiar», o que representa «alguns milhares de pessoas» no País e centenas, no Algarve.

«Faro é o terceiro distrito a nível nacional com maior número de casos reportados», após os distritos de Lisboa e Porto, referiu Eduardo Cabrita, que sublinhou que a casa de abrigo pode acolher homens de todas as zonas do País, uma vez que nos casos de violência doméstica é regra que o acolhimento seja feito fora da zona de residência.

Portugal dispõe, atualmente, de uma rede de 40 casas abrigo, com capacidade total para acolher 800 mulheres vítimas de violência doméstica, referiu o Ministro, que foi acompanhado pela Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino.

Pin It on Pinterest