Câmara do Funchal “cede” à APRAM e muda vendedor de castanhas

No seguimento da reportagem publicada recentemente pelo «Tribuna» dando conta de haver um “mau estar” entre os vendedores de castanhas na baixa do Funchal, tivemos conhecimento de que houve alterações nos vendedores ambulantes.

Recorde-se que a autarquia do Funchal já tinha atribuído as licenças aos vendedores ambulantes para a venda de castanhas, cujos espaços foram distribuídos mediante um sorteio (realizado a 28 de setembro). Uma medida que Paulo Cafôfo implementou na autarquia com o objetivo de haver transparência e de não haver facilitismos para os vendedores ambulantes. Porém, houve quem não tivesse ficado satisfeito com o lugar e foi pedir outra licença à APRAM, mas mantinha o espaço atribuído pela CMF. Alexandra Mendonça afirmou ao «Tribuna» haver mais pedidos de licença para venda de castanhas. Paulo Cafôfo lamentou que a APRAM não tenha dado conhecimento à autarquia que iria licenciar o espaço para este fim.

A situação em causa dava conta de um dos vendedores não ter ficado satisfeito com o lugar que lhe fora atribuído pelo sorteio e foi pedir à APRAM (Portos da Madeira) outra licença. O vendedor em questão conseguiu a licença pretendida da APRAM e foi colocado nas imediações da entrada do cais (em frente à assembleia legislativa). Mas o curioso é que o seu posto de venda ficou a escassos metros de outro vendedor ambulante com a licença da Câmara do Funchal. Entre ambos existe uma “linha imaginária” que divide a jurisdição da autarquia do Funchal e da APRAM. Porém, segundo apurámos, o vendedor que conseguiu a licença pela APRAM ainda não estaria satisfeito por ter outro “colega” de posto de venda por perto. Entre alegadas situações de ameaças, suscitando um clima de desconforto entre os vendedores em questão, o vendedor com a licença da autarquia terá ido pedir uma solução à APRAM para que mudasse o outro vendedor do local, mas a APRAM “descartou-se” e remeteu o assunto para ser resolvido entre o vendedor e a autarquia do Funchal. Esta “novela das castanhas” apresenta uma solução agora, o vendedor com o lugar sorteado pela CMF foi mudado de local deixando assim o vendedor com a licença da APRAM – que chegou depois ao espaço e que tinha já a licença por parte da CMF – sozinho e no local como sempre quis.

Pin It on Pinterest