Pomar Comunitário continua a ser projeto único na Região

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, visitou esta semana o projeto do ‘Pomar Comunitário’ no bairro do Palheiro Ferreiro, em São Gonçalo, de modo a avaliar o desenvolvimento atual desta iniciativa da Câmara Municipal do Funchal, idealizada em 2014 especificamente para este bairro social camarário, e que foi concretizada com o cofinanciamento da Fundação EDP, no âmbito do Programa “EDP Solidária”, que o considerou um dos melhores projetos do ano.

Paulo Cafôfo, acompanhado pelo respetivo Executivo Municipal e pelo Presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo, Paulo Bruno Ferreira, foi ao Palheiro Ferreiro abordar “as novas metas para este projeto singular e integrador, que alia um pomar comunitário, hortas sociais e a recuperação urbanística do Bairro do Palheiro Ferreiro, e que foi desde o início um projeto especial em termos de pertença e identidade para os moradores do bairro.”

O futuro pode passar por abrir o Pomar a quem visita a cidade, incluindo-o num roteiro turístico.

O projeto do ‘Pomar Comunitário e Hortas Sociais de Educação não Formal’ tem uma área de 3 mil metros quadrados, que inclui um pomar comunitário de 1.000 m 2 nos espaços adjacentes ao núcleo habitacional e as hortas sociais no espaço envolvente ao bairro (20 talhões, num total de 2000m 2).

Os objetivos do projeto são promover as boas práticas ambientais, apoiando as famílias carenciadas do bairro e responsabilizando os moradores pela sua revitalização, bem como capacitar crianças e jovens para as questões ambientais, trabalhando a vertente relacional e emocional e, ainda, garantir e gerir a sustentabilidade do projeto, que se baseou nas três regras que definem as Éticas da Permacultura: ‘Cuidar da Terra’, ‘Cuidar das Pessoas’ e a ‘Partilha Justa’.

O pomar tem, desde então, servido de centro de divulgação junto das escolas do Município, garantido as condições de segurança de 80% do espaço público envolvente ao Conjunto Habitacional do Palheiro Ferreiro, no que respeita a limpeza e desmatação dos terrenos, numa área que já é florestal, e já capacitou mais de uma dezena de formandos, especialmente no campo da Permacultura, contribuindo para a subsistência de cerca de 20 famílias do bairro. O Bairro do Palheiro Ferreiro tem um total de 72 fogos, onde vivem 264 pessoas.

Paulo Cafôfo considera que “este é o bairro mais isolado que a Autarquia tem e, no início deste mandato, isso sentia-se bastante. O que fizemos foi pegar num projeto que visava criar um pomar comunitário e transformá-lo num projeto de reestruturação e reabilitação não só do edificado, onde também temos investido sustentadamente na reparação de casas e na beneficiação de espaços públicos, como, acima de tudo, do sentimento de pertença destas pessoas, que passam por dificuldades reais.”

Para o Presidente, “o reforço do trabalho de inclusão e integração social no Palheiro Ferreiro era premente e foi nisso que investimos. Hoje, tão importante como ter os moradores unidos à volta de um projeto comum, é trazer cada vez mais pessoas de fora para o visitar e ver o que de bom é feito cá, minimizando qualquer estigma que possa existir.”

Além da Câmara Municipal do Funchal e da EDP, a Junta de Freguesia de São Gonçalo foi um parceiro indispensável em termos de operacionalização de iniciativas no terreno, promovendo o espírito de comunidade através da dinamização das mais diversas atividades.

Pin It on Pinterest