Filipe Lima mais perto do European Tour

Filipe Lima deu, nesta quinta-feira, um passo importantíssimo para o desejado regresso ao European Tour, a primeira divisão europeia, em 2017.

O atleta olímpico português soube tirar partido de um dia ainda mais favorável a resultados baixos em Omã, com mais calor e sempre sem vento, para efetuar uma boa segunda volta em 68 pancadas, 4 abaixo do Par do Almouj Golf, em Mascate.

Filipe Lima tinha feito ontem 71 (-1), totaliza 139 (-5) e ascendeu do 22º ao 14º lugar na NBO Golf Classic Grand Final. «Hoje foi um bocadinho melhor, joguei mais consistente, só fiz 1 bogey, por causa de 3 putts. Não falhei tantos shots. Também não fiz tantos birdies como ontem, mas 4 abaixo do Par é bom porque o campo não está fácil», analisou o português de 34 anos, residente em França, que meteu um putt fantástico para birdie no buraco 17: «Foram uns 20 metros bem jeitosos, com uma lomba também jeitosa».

O torneio de 400 mil euros em prémios monetários encerra a época de 2016 do Challenge Tour, e só os 16 primeiros classificados no ranking oficial da segunda divisão europeia (a Corrida para Omã) irão subir de escalão.

Filipe Lima chegou a Mascate como 12º posicionado; tinha descido ontem, provisoriamente, para 14º na Corrida para Omã, ao terminar a primeira volta da NBO Golf Classic Grand Final no grupo dos 22º classificados, mas hoje, ao subir ao top-15, recuperou o 12º posto no ranking.

A atualização diária da Corrida para Omã que o Challenge Tour faz nesta Grande Final não é do agrado do português: «É difícil para os jogadores e nem deveriam fazer isso. É verdade que eu ontem perdi 2 lugares, mas estava uns 15 mil pontos à frente do 16º. Isto são quatro voltas, há é que jogar e eu só quero jogar o meu jogo».

Pelo contrário, Ricardo Santos, sem jogar mal, vê cada vez mais longe esse objetivo de chegar ao final da semana no top-16 da Corrida para Omã.

Antes do torneio começar era o 42º, mas hoje está provisoriamente em 43º nesse ranking, tendo mantido a mesma classificação de ontem no torneio, o 38º lugar empatado, apesar de até ter jogado melhor e de ter obtido melhor resultado, passando de 73 (+1) na primeira volta para 71 (-1) na segunda.

«Hoje bati bem na bola, só falhei 1 green, mas fiz 35 putts e a volta fica contada», resumiu bem o duplo campeão nacional.

Foi uma jornada de boas pancadas de saída, algumas, sobretudo com o driver, do melhor que pode fazer. Houve bons approaches, à exceção do que falhou no buraco 14, o único bogey que sofreu. Mas muitos putts ficaram à beira do buraco, teimando em não entrar. Uma autêntica provação mental.

No putt, toquei bem na bola, mas não meti praticamente nenhum. Poderia ter sido uma grande volta e acabou por ser só de 1 abaixo. Foram muitos buracos consecutivos a “patar” para birdie, porque o único green que falhei foi do 14, portanto, foram 13 buracos seguidos a “patar” para birdie. Fiz 1 birdie no 12 (Par-5) porque meti a bola no green em 2 pancadas e estive relativamente perto de fazer eagle… é um pouco frustrante, é uma luta mental. De certa forma sinto-me satisfeito com a volta por ter lutado até ao fim, manter a mesma atitude, o mesmo ritmo de jogo» explicou o algarvio de 34 anos.

Ricardo Santos sabe que só a vitória poderá, provavelmente, levá-lo de volta ao European Tour. Uma vitória parece longe para quem surge em 38º empatado entre 44 jogadores, mas o torneio ainda só vai a meio e a subida do nível de jogo motiva-o a não baixar os braços e a manter a tal atitude positiva: «Ainda há mais dois dias para que possa suceder algo de extraordinário. (…) Um fim de semana como o que o Lima fez na semana passada… quem sabe».

O NBO Golf Classic Grand Challenge é liderado pelo alemão Bernd Ritthammer, que juntou uma volta de 64 (-8) à de 67 (-5) de ontem, para um agregado de 131 (-13).

Bernd Ritthammer é um dos quatro jogadores que este ano venceram dois torneios do Challenge Tour, no seu caso, no Made in Denmark Challenge, em julho, e no Volpa Irish Challenge, em setembro.

Era o 6º na Corrida para Omã antes de começar o torneio e embora esteja seguro de ir subir ao Challenge Tour, sabe que um terceiro título numa mesma temporada, proporciona-lhe uma categoria superior no European Tour de 2017 do que a que recebe por terminar no top-16 do Challenge Tour.

A terceira e penúltima volta começa amanhã às 8h30. Ricardo Santos às 8H52 e Filipe Lima às 10h20.

tenis1

MUSCAT, OMAN - NOVEMBER 03:  Bernd Rithammer of Germany tees off on the 1st hole during day two of the NBO Golf Classic Grand Final at Al Mouj Golf on November 3, 2016 in Muscat, Oman.  (Photo by Tom Dulat/Getty Images)

Pin It on Pinterest