«Super bactérias» estão mais resistentes

Bactérias resistentes a três ou mais antibióticos, conhecidas como “super bactérias”, têm sido identificadas em Portugal. A propósito do Dia Europeu do Antibiótico, que se assinala hoje, a Direcção Geral da Saúde e o Infarmed organizaram uma conferência de imprensa para revelar os últimos dados relacionados com estes medicamentos e as infecções que, em parte, estão relacionadas com o uso indevido destes fármacos.

Manuela Caniça, do Departamento das Doenças Infeciosas do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), revelou que desde 1999 houve “uma progressão bastante elevada da resistência da Staphylococcus aureus à meticilina” (MRSA). Em 1999, a percentagem dessa resistência situava-se nos 36,9 por cento e em 2011 atingiu os 54,6 por cento. Em 2014 esse valor era de 47,4%, descendo para os 46,8 por cento em 2015, uma descida que agrada às autoridades de saúde. Contudo, a diminuição da susceptibilidade da bactéria Klebsiella pneumoniae aos carbapenemes (antibiótico) aumentou, passando de 0,7 por cento em 2008 para os 3,7 por cento em 2015.

Pin It on Pinterest