Governo reafirma política editorial da Direção Regional da Cultura

A publicação “Arquivos de Escritores e Investigadores Madeirenses”, ontem apresentada no Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira (ABM), é um exemplo da aposta que o Governo Regional quer manter e afirmar em termos daquela que é a política editorial no âmbito cultural.

Quem o assume é Eduardo Jesus, secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, que  na cerimónia de ontem referiu que este novo volume da revista “Arquivo Histórico da Madeira” é “uma forma de divulgar e valorizar os arquivos privados doados à Região, mas acima de tudo uma forma de dar corpo e afirmar a política editorial da Direção Regional da Cultura, deixando um legado, mas visando, acima de tudo, o acesso ao conhecimento e assim permitir o nosso crescimento”.

Neste sentido, Eduardo Jesus fez questão de fazer um reconhecimento público e  um agradecimento às autoras “pelo enorme contributo que aqui deixam através desta publicação inteiramente dedicada aos arquivos de escritores e investigadores madeirenses”, uma publicação que, sem dúvida permitirá “a criação do conhecimento a partir do próprio conhecimento”.

Sobre a obra que versa o estudo biobibliográfico de 9 autores e o inventário dos seus arquivos, o Secretário Regional sublinhou que os arquivos incluidos foram, na sua totalidade doados à Região, e, nesse sentido, relevou o movimento recente de aproximação da população ao ABM. “São cada vez mais as situações em que a nossa população se aproxima do Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, numa manifestção de confiança ao serviço que aqui é prestado e à guarda que aqui é feita destes tesouros. Uma manifestção de confiança que enriquece e engrandece este espólio que aqui se guarda de forma exemplar”, acrescentou ainda.

Ainda sobre a obra “Arquivos de escritores e investigadores madeirenses”, Eduardo Jesus referiu que este é o 23º volume da Revista “Arquivo Histórico da Madeira”, órgão de divulgação primordial desta instituição que foi  lançado em 1931 pelo então diretor do Arquivo, Cabral do Nascimento, e pelo conservador Álvaro Manso Sousa. Este novo volume significa o retomar da publicação da “revista-mãe do Arquivo”, depois de 17 anos de interregno.  O secretário Regional aproveitou para anunciar que, já no próximo ano, será lançada, no âmbito da série “Coleção Iconográfica” da revista “Arquivo Histórico da Madeira”, uma publicação sobre “Imagens Antigas do Funchal Urbano”.

Refira-se que a nova publicação do ABM, dedicada aos Arquivos de Escritores e Investigadores Madeirenses, é da autoria de Maria Mónica Teixeira e Fátima Barros e  inclui o estudo biobibliográfico, inventário e uma seleção de documentos de nove personalidades da cultura e sociedade insular de finais do séc. XIX e XX, nomeadamente: António Feliciano Rodrigues (1869-1952); padre Eduardo Nunes Pereira (1887-1976); Eugénia Rego Pereira (1877-1947); padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949); Florival Hermenegildo de Passos (1914-1989); João Brito Câmara (1909-1967); Luís Marino (1909-1996); Magister Octávio de Marialva (1898-1992). Sílvio Fernandes, vice-reitor da Universidade da Madeira, e que fez a apresentação da obra, definiu este volume da Revista “Arquivo Histórico da Madeira” como “um exemplo de amor à cultura e ao saber”, acrescentando que é “uma obra de extrema importância” para a Região e para a história literária da Madeira e Porto Santo.

A par e passo com o lançamento da publicação, foi também inaugurada, no átrio do ABM, uma mostra documental que revela uma  uma seleção de documentos de cada acervo integrado na obra apresentada. Esta mostra ficará patente até ao dia 15 de janeiro.

Pin It on Pinterest