‘Cuidados paliativos não são apenas para doentes oncológicos’

Segundo a Organização Mundial de Saúde, apenas 5% a 10% das mortes ocorre de forma súbita e inesperada, sendo que cerca de 70% das mesmas, sucede após um longo período de doença oncológica ou não. Por isso, o Instituto de Ciências da Saúde (ICS) da Universidade Católica Portuguesa relança, em janeiro de 2017, a pós-graduação Lisbon Series – Cuidados Paliativos para doentes não oncológicos, com o propósito de formar os profissionais de saúde para uma adequada prestação de cuidados junto de todos aqueles que sofrem de uma doença crónica limitante e incurável e que necessitam de cuidados paliativos.

Como referem os coordenadores do curso, Manuel Luís Capelas e José Luís Pereira, “os doentes não oncológicos requerem cuidados, por vezes, mais especializados que os doentes com cancro, sendo o percurso de vida com a doença muitas vezes mais prolongado, menos previsível e mais gerador de sofrimento, a nível pessoal e familiar, do que o da doença oncológica”. Surge, assim, esta pós graduação, composta por várias unidades que abordarão as necessidades específicas deste tipo de doentes. Serão abordados cuidados ao doente com Insuficiência Cardíaca, Respiratória, Renal, com Doença Neurodegenerativa (nomeadamente as demências), Esclerose Lateral Amiotrófica e Esclerose Múltipla, com SIDA, e em situação crítica (unidades de cuidados intensivos e em serviço de urgência), assim como, não poderia deixar de ser, cuidados ao idoso (vulnerabilidade e fragilidade).

O curso irá decorrer entre janeiro e julho de 2017, destinando-se a todos os profissionais de saúde que queiram adquirir conhecimentos e capacidades adicionais de forma a melhor cuidar dos seus doentes, quer estes sofram ou não de uma doença oncológica e necessitem de cuidados paliativos.

Pin It on Pinterest