Taxa de penetração dos acessos telefónicos principais aumentou

No final do 3.º trimestre de 2016, segundo dados veiculados pela ANACOM, a taxa de penetração dos acessos telefónicos principais atingiu 46 acessos por 100 habitantes, o valor mais elevado registado desde que são recolhidas estas estatísticas (4.º trimestre de 2006).

“O parque de acessos telefónicos principais ascendeu a 4,76 milhões de acessos, mais 0,6% relativamente ao trimestre anterior e 2,3% em relação ao trimestre homólogo. O crescimento trimestral verificado (mais 29 mil acessos equivalentes) deveu-se sobretudo ao aumento dos acessos VoIP/VoB (mais 81 mil acessos), nos quais se incluem os acessos suportados em redes de fibra ótica e TV por cabo”, revelam os dados da ANACOM, acrescentando que “o número de postos públicos atingiu cerca de 21 milhares (menos 1,3% face ao trimestre anterior e menos 5,2% face ao trimestre homólogo)”.

No final deste período, a MEO era responsável por 47,4% do total dos acessos principais (menos 0,8 pontos percentuais). O grupo NOS era o 2.º maior prestador, com uma quota de 34,2% (mais 0,4 pontos percentuais), tendo sido o prestador que mais cresceu neste trimestre. A Vodafone atingiu uma quota de 14% (mais 0,5 pontos percentuais).

O volume de minutos de voz do serviço telefónico fixo diminuiu 7,8% em relação ao 2.º trimestre de 2016 e 11,4% em comparação com o trimestre homólogo.

Em média, por mês, foram consumidos 96 minutos por acesso: 75 minutos em chamadas fixo-fixo por acesso principal (menos 7 minutos que no trimestre anterior), 9 minutos em chamadas fixo-móvel (valor idêntico ao do trimestre anterior) e 6 minutos em chamadas internacionais (menos 1 minuto que no trimestre anterior). Pela primeira vez desde que é recolhida esta informação, o tráfego médio por acesso caiu abaixo de 100 minutos por mês.

Pin It on Pinterest