Anis Amri usou até 14 identidades diferentes na Alemanha

O tunisino Anis Amri, presumível autor do ataque a uma feira de Natal em Berlim, a 19 de Dezembro, chegou a usar até 14 identidades diferentes na Alemanha. A informação foi avançada pelo director do gabinete de investigação criminal da Renânia do Norte/Vestfália, Dieter Schürmann.

Vigiado durante vários meses pelos serviços de informações alemães, Anis Amri tinha a sua residência oficial no estado da Renânia do Norte/Vestfália e chegou a ter o seu telemóvel sob escuta entre Dezembro de 2015 e Maio de 2016, tendo sido mesmo incluído pelas forças de segurança na lista de pessoas potencialmente perigosas, mas nunca houve indícios concretos para levar o jovem tunisino à justiça.

Em 19 de Dezembro, um camião conduzido presumivelmente por Anis Amri abalroou um mercado de Natal no centro de Berlim, matando 12 pessoas e ferindo mais de 50. O tunisino seria abatido a tiro por uma patrulha da Polícia de Milão, durante uma operação de rotina de controlo.

Anis Amri era um requerente de asilo que chegou em Julho de 2015 à Alemanha. O seu pedido foi rejeitado em Junho. Utilizou várias identidades e várias nacionalidades para conseguir subsídios sociais em várias cidades alemãs.

A Alemanha não conseguiu avançar com o processo de repatriação, uma vez que a Tunísia contestou durante vários meses a cidadania de Anis Amri. Também não conseguiu detê-lo enquanto esperava a deportação porque era necessário provar judicialmente que o suspeito representava um risco concreto.

Pin It on Pinterest