Ataque com gás sarin tem “assinatura” do regime de Bashar al-Assad

Um relatório dos serviços de informação franceses, hoje divulgado, afirma que o ataque com gás sarin contra a localidade síria de Khan Cheikhoun, que no início de Abril fez 87 mortos, tem “a assinatura” do regime de Bashar al-Assad.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros de França, Jean-Marc Ayrault, Paris sabe de “fontes seguras” que “o gás sarin que foi usado é típico do método desenvolvido em laboratórios sírios”.

“Face ao horror deste ataque e às violações repetidas pela Síria dos seus compromissos de não usar armas proibidas pela comunidade internacional, a França decidiu partilhar com os seus parceiros e com a opinião pública mundial as informações de que dispõe”, afirmou Jean-Marc Ayrault.

A Rússia considerou hoje que um novo relatório do governo francês não é suficiente para provar que foi o Governo sírio o responsável pelo ataque. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a posição do seu país sobre o ataque não mudou e que “a única maneira de saber a verdade sobre o que aconteceu perto de Idlib é uma investigação internacional imparcial”.

O ataque, perpetrado a 04 de Abril contra a localidade de Khan Cheikhoun, uma zona controlada pelos rebeldes, fez 87 mortos, entre os quais 31 crianças. Damasco sempre negou a sua implicação no ataque.

Pin It on Pinterest