Três investigadores portugueses premiados com estágios internacionais

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) premiou três investigadores portugueses com bolsas de apoio a estágios individuais de formação de curta duração na área da dor, duas na vertente clínica e uma de ciências básicas, no valor unitário de dois mil euros.

O investigador português Daniel Humberto Pozza, professor na Faculdade de Medicina (FMUP) e na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP) da Universidade do Porto acabou de receber a Bolsa APED de apoio a um estágio na área básica da dor. O estágio será realizado no Laboratório de Biologia Celular, Faculdade São Leopoldo Mandic (SLMANDIC) de Campinas, São Paulo, Brasil.

Para o Prof. Dr. Daniel Pozza, “este estágio na área da dor orofacial vai permitir compreender melhor os mecanismos fisiopatológicos e farmacológicos, abordando os diferentes modelos animais de dor orofacial”. Acrescenta ainda que: “vou ter oportunidade de melhorar os meus conhecimentos na área em que já tenho vindo a trabalhar.”

Premiadas na vertente clínica da área da dor, Joana Monteiro, do Centro Hospitalar de São João, no Porto, e Rute Sampaio, investigadora do Departamento de Biologia Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto terão oportunidade, durante o estágio, de adquirir novos conhecimentos, essenciais para a continuação dos respetivos projetos e desenvolvimento futuro de projetos nesta área em Portugal. Os estágios serão realizados na Northwerstern University, em Chicago, e em várias instituições muito prestigiadas também na investigação em dor, em Londres, respetivamente.

As bolsas deverão ter uma duração igual ou superior a 15 dias e igual ou inferior a 90 dias e uma data de início planeada até ao final do 2º trimestre de 2017 (30 de junho).

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) tem por objetivos promover o estudo, o ensino e a divulgação dos mecanismos fisiopatológicos, meios de prevenção, diagnóstico e terapêutica da dor.

Pin It on Pinterest