Petrolífera teve parcela “significativa” nas transferências ocultas

As receitas da petrolífera venezuelana PDVSA representam uma parcela “significativa” dos 7,8 mil milhões de transferências ocultas que partiram do BES, entre 2012 e 2014, e que não foram registadas pelo Fisco.

Segundo o Jornal Económico, a outra “parcela de peso” representa pagamentos de financiamentos indirectos do BES às empresas do Grupo Espírito Santo (GES), via Panamá, que foram liquidados e sucessivamente renovados junto do ES Bank Panamá.

O semanário revelou a semana passada que mais de metade dos 10 mil milhões transferidos para paraísos fiscais e que não apareciam nas estatísticas entre 2011 e 2014 partiram do BES.

A PDVSA enviou montantes significativos para o Panamá, país para o qual foi mais de um quarto do total de dez mil milhões que voaram para o estrangeiro sem controlo fiscal.

Pin It on Pinterest