Protesto simbólico marca o 106º aniversário da GNR

Constança Urbano de Sousa anunciou hoje que “o próximo desafio” do Ministério da Administração Interna é a aprovação da lei orgânica da Guarda Nacional Republicana (GNR) e que está ser concluído o regulamento de avaliação dos militares da corporação.

“O próximo desafio será dotar a Guarda de uma Lei Orgânica que permita dar seguimento às linhas gerais definidas estatutariamente e dotá-la de uma organização mais moderna e capaz de superar ainda com um maior nível de eficácia os desafios da actualidade”, disse a ministra, na cerimónia que assinalou o 106º aniversário da Guarda Nacional Republicana.

No seu discurso, Constança Urbano de Sousa adiantou que está a ser “ultimado a proposta para um novo regulamento de avaliação de mérito” dos elementos da GNR, documento que vai, “pela primeira vez, abranger a totalidade dos militares” e criar “um sistema mais justo e objectivo”, que vai privilegiar “o desempenho real e efectivo” e garantir “uma maior transparência e justiça nas promoções por mérito”.

A lei orgânica da GNR, recorde-se, já tinha sido anunciada pelo Governo PSD e CDS-PP, que incluía a reactivação das brigadas de trânsito e fiscal, mas não se concretizou.

A cerimónia ficou marcada por um protesto simbólico organizado pela Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e pela Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG), quando cerca de 30 militares da GNR vestidos de preto viraram as costas à ministra enquanto esta discursava. Um dos motivos de contestação é o estatuto profissional da GNR, que entrou em vigor a 01 de Maio.

A cerimónia que assinalou os 106 anos da GNR, que decorreu na Praça do Império, em Lisboa, foi presidida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tendo também contado com a presença do primeiro-ministro, António Costa.

Pin It on Pinterest