Projeto sobre Bosch entre vencedores do Grande Prémio Europa Nostra

O projeto holandês para a Investigação e Conservação das obras do pintor Hieronymus Bosch, “Hertogenbosch”, é um dos sete vencedores do Grande Prémio Europa Nostra, anunciados no encerramento do Congresso do Património Europeu, em Turku, na Finlândia.

Complexo Barroco dos Jardins de Kuks, na República Checa, a Estrada Real de Filefjell, na Noruega, o Palácio da Cultura, em Blaj, Roménia, as ruínas do Mosteiro de S. João, em Burgos, Espanha, que venceram na categoria de Conservação, e o Centro de Artes Visuais e Investigação de Nicósia, Chipre, na área educacional, são os outros projetos distinguidos na segunda-feira à noite, com o Grande Prémio União Europeia para o Património Cultural/Europa Nostra, que também foi atribuído ao investigador croata Ferdinand Meder.

O musicólogo húngaro Zoltán Kallós, que dedicou mais de 70 anos à constituição de um arquivo das tradições musicais da Hungria e da Roménia, recebeu o prémio do público, resultante da votação ‘online’ no ‘site’ da organização.

O Projeto de Investigação e Conservação Bosch foi criado há sete anos, com um orçamento de cerca de três milhões de euros, para estudar e catalogar todos os trabalhos do artista, antes da passagem dos 500 anos da sua morte, em 2016.

O tríptico As tentações de Santo Antão, pintado em 1500, que pertence ao acervo do Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, foi uma das primeiras obras imediatamente examinadas e confirmadas pelo projeto Bosch, em 2011.

Um pormenor do painel principal deste quadro domina a página de abertura do projeto holandês, na internet (boschproject.org).

O projeto de requalificação da Torre dos Clérigos, no Porto, e o mestrado em análise estrutural de monumentos, coordenado pela Universidade do Minho, em Guimarães, estavam entre os 29 finalistas candidatos ao Grande Prémio Europa Nostra, como vencedores dos Prémios União Europeia para o Património Cultural/Prémios Europa Nostra, anunciados no passado dia 5 de abril.

O projeto português de requalificação da Igreja e da Torre dos Clérigos era um dos finalistas na categoria Conservação, enquanto o Mestrado em Análise Estrutural de Monumentos e Construções Históricas, um projeto europeu coordenado pela Universidade do Minho, em Guimarães, estava entre os candidatos na categoria Educação, Formação e Sensibilização.

Na declaração final do congresso, os Prémios União Europeia para o Património Cultural/Prémios Europa Nostra foram declarados “instrumentos centrais” na comemoração do Ano Europeu do Património Cultural, a assinalar em 2018.

Pin It on Pinterest