Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas divulga programação para julho

O Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, na Ribeira Grande, sob a coordenação da Direção Regional da Cultura, promove em julho a realização de diversas iniciativas, entre as quais visitas guiadas, encontros com artistas, espetáculos, exposições, teatro e uma residência literária.

A programação começa com a segunda visita guiada do ciclo “Das mesmas mãos”, que acontece a 1 de julho, relativamente à escultura “Sem Título V (Peregrino) 2011”, de Daniel Oliveira, na Igreja de São José em Ponta Delgada, pelas 10h30.

Durante todo o mês, estará patente no Centro de Artes Contemporâneas a obra do mesmo autor, pertencente à coleção Arquipélago, denominada “Sem Título VI, 2011”.

A iniciativa “Dobrando Simetrias” acontece a 2 de julho e propõe um encontro com a artista Catarina Branco. Os participantes neste evento, promovido pelo Serviço Educativo, terão oportunidade de visitar a exposição “Catarina Branco” numa visita guiada pela artista, e depois, partindo da sua obra, vão colocar em prática as técnicas que utiliza.

O Arquipélago promove também, em julho, alguns eventos em parceria com o Festival Walk&Talk, que pretende envolver os artistas e a comunidade local. Nesse sentido, vai acolher os projetos de Francisca Manuel e da japonesa Akane Moriyama, assim como da coreógrafa Vânia Rovisco, que estará em residência no Arquipélago entre 4 e 14 de julho.

No decorrer desta residência, a 8 de julho, entre as 14h30 e as 17h30, o Centro de Artes Contemporâneas promove a masterclass “A base somos nós”, com Vânia Rovisco, que se traduz num encontro em que todas as pessoas podem partilhar práticas de expressão corporal. Esta residência culminará com o espetáculo  “Equanimidade – Ânimo Inalterável”, a 28 de julho, no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada.

Ainda a 8 de julho, pelas 18h00, o Arquipélago recebe PLIP – Red Cloud Teatro de Marionetas, um espectáculo de teatro de marionetas para crianças, falado na língua imaginária do planeta Plip.

Integrado na programação do Disquiet – International Literary Program, que organiza este ano pela primeira vez uma residência literária em S. Miguel, o Centro de Artes Contemporâneas recebe a 11 de julho, pelas 18h00, uma sessão com Jeffery Renard Allen, escritor coordenador da residência, Leonor Sampaio da Silva e João Pedro Porto. Esta sessão de conversa e leitura contará com os restantes 14 escritores participantes do projeto e será aberta ao público.

A 23 de julho, o Serviço Educativo promove, em parceria com o Centro de Interpretação Ambiental da Caldeira Velha e com a colaboração dos Urban Sketchers, a atividade “Erupção em Papel – Trilho do Pico Queimado”. A propósito da erupção ocorrida em julho de 1563, este trilho será guiado e orientado através de explicações da história, geologia e biologia do Pico Queimado e será feito o convite aos participantes para registarem, através de desenhos, os diferentes momentos deste passeio.

O dia 23 de julho é também o último para visitar a exposição “Catarina Branco”, patente no Centro de Artes Contemporâneas desde 29 de abril.

Por outro lado, as recém-inauguradas instalações “Zoe: Actant”, de Hugo Paquete, e “Mapa da Vida”, de Ana Nobre, resultantes da residência artística “Salutem: à tua saúde”, podem ser visitadas no Arquipélago até 3 de setembro.

A exposição “Tempo Líquido – um diálogo de vídeos das coleções Maria & Armando Cabral e Cal Cego”, com curadoria de Carolina Grau, encerra a 28 de julho com o lançamento do Catálogo.

No mesmo dia, será inaugurado o projeto de Patrícia Dauder, uma dos artistas da residência artística “Terra Incógnita”, enquanto os projetos de João Gigante e Mauro Cerqueira, resultantes da mesma residência, que decorreu nas ilhas das Flores, Terceira e São Miguel, serão inaugurados a 6 de agosto.

O Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas está aberto de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00.

Pin It on Pinterest