Red Bull Cliff Diving World Series está de regresso aos Açores

Com a competição organizada pela primeira vez ao longo do fim de semana, as primeiras rondas decorrem no sábado e as finais no domingo – 8 e 9 de julho – o Red Bull Cliff Diving World Series está de regresso aos Açores pelo sexto ano consecutivo. Numa época mais compacta composta por seis etapas, o ilhéu de Vila Franca do Campo – situado na ilha de São Miguel, a menos de um quilómetro da cidade com o mesmo nome – destaca-se pelas suas paisagens selvagens e intactas. E também por ser o único destino da temporada onde os atletas têm a oportunidade de saltar diretamente das rochas, um desafio que evoca as origens da modalidade e que vem acrescentar um patamar de dificuldade adicional.

Para Marta Guerreiro, Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo do Governo dos Açores, “o Red Bull Cliff Diving permite aumentar a notoriedade do nosso destino, aliado à natureza, como elemento diferenciador na oferta turística, uma vez que se apresenta como um evento âncora com elevado nível de promoção internacional”. Uma iniciativa “enquadrada na ação do Plano Estratégico e de Marketing dos Açores, relativamente à angariação e aposta em eventos de renome internacional no segmento associado às atividades náuticas, projetando os Açores num contexto promocional muito mais vasto”, acrescentou.

Os 22 atletas, de nove países, prometem mostrar os mais complexos e exuberantes saltos da modalidade proposta pela FINA – Federação Internacional de Natação – para os Jogos Olímpicos de 2020. Depois da saída da plataforma de 27 (masculinos) ou 21 metros (femininos) – ou diretamente da rocha de uma altura idêntica – o encontro com as águas do oceano dá-se em menos de três segundos, correspondendo a uma aceleração próxima da registada por um Fórmula 1!

O circuito mundial conta este ano com um novo Diretor Desportivo, o norte-americano Greg Louganis, lenda do desporto que é o mais bem-sucedido atleta de saltos para a água de todos os tempos. Tal como no ano passado, o grupo integra atletas masculinos e femininos – entre elementos do quadro permanente e “wildcards”. Cumprida a primeira etapa do calendário (Irlanda), há dois nomes que se destacam desde já. Em masculinos quem lidera é o hexacampeão Gary Hunt, uma referência que também venceu no ano passado nos Açores. Na mesma lógica, a australiana Rhiannan Iffland – a sensação de 2016 (foi a primeira atleta wildcard a chegar ao título na sua primeira época) começou igualmente o ano a ganhar.

Domingo (9 julho) a ação das finais vai poder ser acompanhada a partir das 13h30 (hora de Portugal continental) através da transmissão televisiva em direto da Red Bull TV: https://www.redbull.tv/live/AP-1RZDU6T5W2111/red-bull- cliff-diving-world-series.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger