1º de Maio tem novo sintético 20 anos depois

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, inaugurou ontem o novo campo sintético do Clube Desportivo 1º de Maio, em São Gonçalo, resultado de um contrato-programa no valor de 145 mil euros, através do qual a Autarquia financiou a renovação integral do piso sintético do velhinho campo do Palheiro Ferreiro, que era o mais antigo da Região. O contrato-programa foi assinado em maio “e o compromisso assumido foi de que o novo relvado artificial seria uma realidade antes da próxima época desportiva. Prometemos e cumprimos e hoje é um dia histórico, não só para o 1º de Maio, como para o Funchal, porque a História do clube funde-se com a da cidade e com a nossa”, enalteceu Paulo Cafôfo.

O Presidente do 1º de Maio, Duarte Luciano, sublinhou “o compromisso cumprido pela Autarquia, numa requalificação de importância fundamental para este clube e para esta comunidade”, ao passo que o discurso mais emocionado da manhã chegou da parte de João Inácio Faria, histórico dirigente do 1º de Maio e atual Presidente da Assembleia Geral, que defendeu que “durante anos, ninguém se lembrou do 1º de Maio, ninguém deu a mão ao clube e apoiou o seu crescimento. Este clube tem nas suas fundações o brio, a solidariedade e a gratidão e é por isso que não nos esquecemos de quem nos ajuda. Seremos sempre muito gratos à Câmara Municipal do Funchal pelo que fez por nós.”

Paulo Cafôfo, que teve a seu lado o Executivo Municipal, fez questão de elogiar o papel de ambos neste desfecho, Duarte Luciano “pela revitalização do clube”, e João Inácio Faria pelo “carisma incomparável e por um coração e uma dedicação que dizem tudo o que há para saber sobre esta gente e este clube”, e aproveitou para enaltecer, igualmente, “o empenho do Presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo, Paulo Bruno Ferreira, cuja diligência foi determinante para que esta obra fosse realidade.” Paulo Cafôfo enalteceu, de seguida, que este é “um reforço da parceria entre a CMF e um dos clubes mais carismáticos e mais antigos da cidade e da Região, e que tem um incontornável papel social, em particular na freguesia de São Gonçalo, bem patente nos mais de 400 jovens que integram as suas várias modalidades, e que se traduzem em mais de 400 famílias para quem o 1º de Maio faz parte do quotidiano”, defendendo que “o que estamos aqui a fazer hoje não é nenhum favor. É, sim, um dever da Autarquia dar as condições necessárias a quem merece e o 1º de Maio merece.”

O Presidente considerou, por fim, que “a Autarquia tinha de ser sensível a esta necessidade premente de substituir aquele que era o sintético mais antigo da Região, já com praticamente duas décadas”, relembrando que esta é uma obra que “não é só para a equipa principal, mas muito especialmente para estes jovens, que estão numa fase importante de crescimento pessoal e desportivo, concretizando mais um investimento no desporto de formação, o que tem ficado patente um pouco por todo o concelho, com campos novos nas nossas escolas, nos nossos bairros sociais, mas também nos nossos clubes e associações, que são um parceiro muito importante para consubstanciar a nossa visão de uma cidade ativa, educadora e inclusiva. O que queremos é que estas crianças sejam felizes e construam memórias tão inesquecíveis como as que o Sr. Faria partilhou hoje connosco mais uma vez.”

Pin It on Pinterest