‘Apoio à tripolaridade da Universidade ultrapassa 5,5 milhões de euros’

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou ontem, em Ponta Delgada, que o Executivo pretende contribuir para a “consolidação” da estrutura tripolar da Universidade dos Açores, defendendo que se traduz “numa maior diversidade de infraestruturas de apoio às atividades de ensino e de investigação e numa maior e melhor interação com o tecido social e económico”.

Gui Menezes salientou que a tripolaridade poderá contribuir para “o aumento de estudantes açorianos a serem formados na Região”, referindo que, desde 2004, o Governo dos Açores tem vindo a “assegurar o financiamento complementar” desta despesa da Universidade dos Açores, num montante total superior a 5,5 milhões de euros.

O Secretário Regional, que falava na cerimónia de assinatura do contrato-programa de apoio à tripolaridade da Universidade dos Açores, no valor de 350 mil euros, defendeu que esta verba pretende “contribuir para uma investigação científica e um ensino de qualidade nos polos de Ponta Delgada, de Angra do Heroísmo e da Horta”.

Gui Menezes frisou, no entanto, que o apoio do Governo dos Açores à Universidade “não se esgota no apoio ao funcionamento tripolar”, salientando a “colaboração” entre as duas instituições “ao longo do tempo”.

Nesse sentido, destacou a cedência de terrenos e de imóveis do património regional, bem como o cofinanciamento de várias infraestruturas, nomeadamente da Biblioteca da Universidade, em Ponta Delgada, das novas instalações da Universidade no Faial e das instalações dos serviços de Ação Social, em Angra do Heroísmo.

Gui Menezes lembrou ainda a criação de programas específicos de apoio financeiro ao desenvolvimento científico e tecnológico, destacando-se o PRO-SCIENTIA, em vigor desde 2012, cujo “principal e quase único beneficiário é a Universidade dos Açores”, bem como os concursos para apoio a projetos de investigação científica, os apoios ao funcionamento dos centros de investigação e as bolsas de formação avançada.

Na sua intervenção, o Secretário Regional destacou também o papel da Universidade dos Açores “enquanto parceiro importante” do Executivo no que respeita à definição de políticas regionais, através de estudos que “servem de suporte científico a algumas decisões governamentais em várias áreas, como é o caso das pescas”.

A título de exemplo, apontou os protocolos celebrados entre o Governo Regional e o IMAR para a realização de diversos projetos na área da investigação e da monitorização dos recursos marinhos, que envolveram, desde 2012 até 2017, transferências do orçamento regional de cerca de 3,3 milhões de euros.

O titular da pasta da Ciência garantiu ainda que o Governo dos Açores “continuará a apoiar sempre que possa” a Universidade, considerando o seu papel enquanto “casa do conhecimento dentro e fora dos Açores” e o seu contributo para a “elevação do nível científico, educativo, cultural e social, através da sua ação de ensino, de investigação e de promoção cultural e científica”.

Pin It on Pinterest