123 migrantes salvos no espaço de uma semana no Mediterrâneo

A equipa da Polícia Marítima, em missão na ilha grega de Lesbos, resgatou 123 migrantes no Mar Egeu em quatro operações de patrulha no espaço de uma semana. Todos estes migrantes tentavam efetuar a travessia entre a costa da Turquia e a Grécia navegando em frágeis botes de borracha.
Na madrugada do dia 25 de setembro, foram resgatados mais trinta e cinco migrantes, sendo 30 do Afeganistão, 2 do Irão, 2 da República Dominicana e 1 do Gana, entre os quais 10 crianças e 11 mulheres. Nos dias 17, 18 e 19 de setembro foram igualmente resgatados outros três botes, com mais 88 migrantes. 

A presença deste último bote foi detetada a partir de terra através das capacidades tecnológicas da viatura de vigilância costeira da Polícia Marítima, com recurso ao seu radar e às câmaras de vigilância infravermelhos e térmica. A viatura passou de imediato as coordenadas para a equipa que se encontrava em patrulha no mar. Esta dirigiu-se para o local tendo conseguido detetar o bote com os migrantes.

A Polícia Marítima retirou em segurança todos os migrantes do bote passando-os para a sua embarcação, onde foram transportados para o porto de Skala e entregues às autoridades gregas.

Em missão desde o dia 1 de maio de 2017, integrada na missão POSEIDON 2017, sob égide da agência europeia FRONTEX, a Polícia Marítima já efetuou 751 horas de navegação e apoiou e resgatou 661 migrantes que continuam a arriscar a própria vida para entrar na Europa através do Mar Egeu, entre a Costa da Turquia e da Grécia.

A Polícia Marítima encontra-se em missão de apoio à guarda-costeira grega, com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da UE, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda-costeira europeia.

 

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger