Cardiologistas de intervenção querem maior proximidade com a Medicina Geral e Familiar

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC), em parceria com a Associação Nacional de Unidades de Saúde Familiar (USF-AN), vai promover um workshop, gratuito, dirigido a internos e especialistas de Medicina Geral e Familiar, no próximo dia 18 de novembro, entre as 9h30 e as 13h, no Centro de Conferências de Tróia.

“O médico de família tem um papel essencial junto do doente, não apenas no que respeita ao diagnóstico de algumas doenças, mas também à referenciação no momento certo e, posteriormente, ao seguimento. Quando o doente sai do hospital precisa de ter um profissional que o ajude a gerir a sua doença e os nossos colegas de medicina geral e familiar são fundamentais”, afirma António Fiarresga, presidente da Reunião Anual da APIC 2017.

O workshop tem como objetivos promover a identificação das estratégias de diagnóstico e seleção de doentes; a identificação das principais dificuldades na referenciação de doentes; o reconhecimento das necessidades de prevenção secundária e seguimento clínico do doente nos cuidados de saúde primários e a avaliação do risco de intervenções não cardíacas no doente cardíaco.

As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias através deste link: http://www.spc.pt/spc/ inscricoes/workshop.aspx

Esta iniciativa insere-se na Reunião Anual da APIC que vai centrar-se, este ano, nos novos desafios técnicos e científicos da cardiologia de intervenção, mas também nas questões socioprofissionais que a comunidade enfrenta.

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC), uma entidade sem fins lucrativos, tem por finalidade o estudo, investigação e promoção de atividades científicas no âmbito dos aspetos médicos, cirúrgicos, tecnológicos e organizacionais da Intervenção Cardiovascular. Para mais informações consulte: www.apic.pt

Pin It on Pinterest