Idade não é ‘sentença de morte’

A Direcção Geral da Saúde (DGS) traçou hoje o perfil dos doentes portugueses que sucumbiram ao covid-19. Graça Freitas, a directora-geral, disse esta sexta-feira que “entre a data de início dos sintomas e a data do óbito passam em média oito dias”, que a mediana de idade entre os mortos é de 85 anos nas mulheres e de 80 anos nos homens e que “a maior parte destas pessoas, além do factor idade, têm várias doenças, habitualmente mais do que uma.”
As doenças de maior risco de “desfecho negativo” são, segundo a DGS, as do “aparelho cardio-circulatório, as respiratórias, diabetes, doença renal crónica, neoplasias e doenças cerebro-vasculares”. Mas Graça Freitas diz que estar infectado e ter uma destas doenças não é uma ‘sentença de morte’.
“Há muitos idosos com mais de 80 anos e com mais de três doenças que felizmente tiveram alta”, assinalou a directora-geral da Saúde.
O boletim epidemológico sobre o novo coronavírus aponta que a doença já causou 246 mortos em Portugal. A taxa de mortalidade global é de 2,5%, sendo que a letalidade é de 10,2% em pacientes acima dos 70 anos de idade.

Pin It on Pinterest