«O vírus veio para ficar, temos de aprender a viver com ele»

São várias as dúvidas que vão surgindo no dia a dia das pessoas quando confrontadas com a situação atual que se vive com a fácil propagação do coronavírus, que parece estar descontrolada.

Uma pergunta que pode, à partida, parecer insignificante na resposta correta pode fazer a diferença ao combate ao COVID-19.

O médico Marco Albuja tem ajudado na resposta a muitas questões que lhe são colocadas. Recentemente, abordou o assunto do coronavírus focando na higiene.

Para melhor esclarecer, exemplificou com dois tipos de vírus. O mais pequeno identificou como sendo o vírus do sarampo e o outro maior e mais pesado é o do coronavírus. Quando falamos e mencionamos algumas palavras, por exemplo foco, falta, podemos reparar que as gotículas de saliva podem chegar a uma distância de cerca de 12 metros.

O vírus do sarampo, por ser mais pequeno e mais leve, pode chegar a uns 10 metros (por exemplo através da tosse). O vírus do coronavírus pode chegar a 1,20m ou a 1,80m. Por isso, que se diz que as pessoas devem estar separados de outra pessoa a uma distância de pelo menos 2 metros.

O vírus do coronavírus é um vírus pesado e o que acontece é que, por exemplo, ao poder cair em cima de uma mesa pode ser tocado com as mãos e depois estas vão tocar no rosto. Ao cair no chão, no caso de a pessoa estar a caminhar e tossir ou espirrar, outra pessoa que por ali circule pode pisar o vírus e transportá-lo no sapato. Esta, segundo o médico, é uma situação a ter em conta e que não deve ser ignorada.

«Quando chegar a casa, tire os sapatos antes de entrar em casa. Depois vá diretamente ao banho, lave as mãos, tire as roupas e coloque-as para lavar, sobretudo para pessoas que tenham estado em contato com pessoas suspeitas. Tome banho e vista roupas limpas», afirma o médico.

Disse ainda que existem pacientes assintomáticos, não diagnosticados. Ou seja, pessoas que foram infetadas mas não foram afetadas, são duas coisas diferentes. São pessoas jovens, que têm o vírus, não tem sintomas e andam caminhando por aí.

Por isso, a melhor opção, neste momento, aponta, «é que fiquem em casa».

Todas as pessoas que estejam doentes com o coronavírus, devem ficar em casa, excepto que necessite de ajuda médica para evitar que o vírus se propague a outras pessoas.

Marco Albuja refere ainda que as máscaras dão uma falsa perceção de cuidado. «Temos de lavar bem as mãos e evitar tocar na cara. E se esteve em contato com pessoas que têm coronavírus deve colocar a máscara e evitar contato com o vírus».

Realça a importância de lavar as mãos com sabão, mais eficaz do que com álcool.

O médico insiste e aconselha a lavagem das mãos com sabão com a duração de, pelo menos, um minuto. Sublinha que o coronavírus permanece durante 15 dias no corpo. E não tem dúvidas: «O vírus veio para ficar e temos de aprender a viver com ele».

Pin It on Pinterest