PCP quer saber se foi “mera propaganda”

O PCP, através do seu deputado na Assembleia Legislativa da Madeira, vai questionar o Governo Regional “sobre o facto de não estar a ser efectivada uma medida fortemente propagandeada pelo Governo Regional”. O partido, pela voz de Ricardo Lume, diz que quer “esclarecimentos”.

A 13 de Março, na sequência das medidas de combate à pandemia covid-19, o presidente do Governo Regional anunciou que iria isentar toda a população do pagamento dos custos com o consumo de electicidade e que iria ser gratuita na Região Autónoma da Madeira como medida extraordinária de apoio aos empresários, particulares e instituições de caráter social, desportivo e cultural. Essa isenção, recorda o PCP, iria considerar os dias 16 a 31 de Março de 2020.

O PCP exige todos os esclarecimentos sobre esta situação. Se foi um erro dos serviços públicos, pois, que seja imediatamente corrigido. Se foi mera propaganda, então, terão de ser retiradas ilações de natureza política correspondentes à gravidade de uma eventual aldrabice”, aponta o partido. “Temos conhecimento de que as facturas emitidas pela Empresa de Eletricidade da Madeira estão a chegar a casa dos madeirenses e portossantenses sem qualquer tipo de desconto, contrariando a propaganda do Governo Regional.”

Os comunistas analisaram uma factura que foi entregue a um consumidor no dia 22 de Abril, referente ao período entendido entre 28 de Fevereiro e 26 de Março, em que foram cobrados 28 dias de consumo.

Se fosse aplicada a medida que o Governo Regional anunciou, no passado dia 13 de março deveriam de ter sido cobrados apenas 18 dias”, assinalam.

Pin It on Pinterest