Portugueses estão com medo dos serviços de saúde

Um inquérito do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (Cesop) da Universidade Católica indica que, por causa do coronavírus, 74% dos portugueses estão com medo de se deslocar aos serviços de saúde. 26% dos inquiridos dizem mesmo que deixaram de recorrer aos serviços médicos.
No inquérito feito para o PÚBLICO e RTP, 23% da amostra da população assume que o seu estado geral de saúde física está pior do que antes da crise sanitária as ter fechado em casa. É entre os jovens com idades entre os 18 e os 24 anos que se concentra a maior percentagem (33%) dos que acusam a deterioração do seu estado de saúde. Nos que têm 65 ou mais anos de idade, refira-se, a proporção desce para os 17%.
No que respeita à saúde mental, 35% dizem estar pior do que antes da crise. E não são os mais velhos a acusar os efeitos do isolamento social. Apenas 25% dizem sentir-se pior do que há um mês, quando, no intervalo dos 35 aos 44 anos de idade, a percentagem é de 49%. Um pouco mais abaixo, no grupo dos que têm entre 25 e 34 anos, são 44% os que acusam a degradação do estado de saúde mental, numa proporção que se repete no grupo etário imediatamente abaixo, entre os 18 e os 24 anos de idade.
Este inquérito foi realizado entre os dias 6 e 9 de Abril de 2020, através de perguntas a 1700 indivíduos com 18 ou mais anos residentes em Portugal.

Pin It on Pinterest