Exercício testa aterragem de emergência no mar

O Aeroporto da Madeira, no concelho de Santa Cruz, realiza amanhã um exercício que envolve cerca de 40 entidades e 140 participantes para testar a capacidade de resposta no caso de uma situação de emergência.

O cenário delineado no plano envolve um Airbus 330 proveniente de Caracas com destino à Madeira, com 155 passageiros e oito  tripulantes a bordo, que tem uma avaria devido a uma fuga de combustível e acaba por ter de fazer uma amaragem (aterragem de emergência no mar) a cerca de uma milha da região, ficando o aparelho a flutuar durante 15 minutos.

Neste exercício de emergência, os tripulantes e 47 dos passageiros são 47 portugueses, sendo os restantes venezuelanos.

Na sequência deste acidente haverá 48 mortos, 40 feridos graves, 43 ligeiros e três desaparecidos.

Entre as entidades envolvidas estão as diversas forças de segurança, meios marítimos e aéreos, o SANAS (Associação Madeirense para Socorro no Mar), Ministério Público, Policia Judiciária, GNR, SEF, Alfândega, Vialitoral, consulado da Venezuela, Gabinete Médico-Legal, Bombeiros, Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes em Aeronaves.

Em termos de recursos, estarão afetas a esta ação 12 embarcações, os meios do Destacamento Aéreo da Madeira, além de 140 figurantes, sendo que será observada por 18 entidades diferentes, destacando-se o Instituto Nacional de Aviação Civil, o aeroporto das Lajes (base americana) e o Serviço de Informação de Segurança (SIS).

Este tipo de exercício é mais detalhado e direcionado para todas as entidades que fazem parte do plano de emergência do Aeroporto da Madeira, sendo realizado a cada dois anos.

Tem entre outros, o objetivo de avaliar as dotações internas em termos de meios humanos, a prontidão, o tempo de resposta e intervenção dos recursos humanos e materiais, e de coordenação e execução de resgate, salvamento e transporte dos sinistrados e todas as envolventes de operacionalidade da operação.

Pin It on Pinterest