“A Sabotagem do Casamento Real”, outra versão da história

Paulo Mendes Moreira apresenta, a 4 de Novembro, o livro “A Sabotagem do Casamento Real”.

Paulo Mendes Moreira lança, na próxima sexta-feira, o seu primeiro livro, intitulado “A Sabotagem do Casamento Real”. Sem adiantar grandes pormenores, para que os leitores sejam induzidos à leitura, o escritor apresenta uma versão própria da invasão da Região Autónoma da Madeira por corsários franceses.

Não se pretende uma análise histórica, mas sim uma abordagem muito particular aos factos ocorridos no ano de 1566. “O objetivo primeiro foi recordar este acontecimento que, na altura, vitimou cerca de 300 funchalenses”, mas também estabelecer uma relação entre o ataque e o facto do Rei D. Sebastião não se ter casado.

Mais do que invadir o Funchal, o escritor salientou que a intenção foi criar um problema diplomático para evitar o casamento real. Muitos portugueses “atribuíram o facto às questões religiosas”, mas a realidade foi outra.

“A Sabotagem do Casamento Real” é o seu primeiro livro a chegar às bancas, graças a um trabalho aprofundado de pesquisa, mas Paulo Mendes Moreira está desde cedo ligado à escrita, tendo trabalhado no jornal “O Retornado”. “Escrevo pelo prazer da escrita”, confessou ao Cidade Net.

O escritor madeirense lamentou ainda que as verbas para o mercado literário sejam tão escassas. As áreas culturais não têm recebido os incentivos devidos e agora, com os anunciados cortes orçamentais, a situação tende a piorar.

Esta apresentação a cargo da Editora O Liberal terá lugar, a 4 de Novembro, no Teatro Municipal Baltazar Dias. “A Sabotagem do Casamento Real”, um romance histórico, traz assim factos inéditos para os leitores interessados na temática.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger